Baba de Camelo

Não faz tanto tempo assim desde que comecei a partilhar, aqui no blog, a minha paixão pela culinária. Apesar de adorar criar novas receitas e experimentar pratos novos, sempre tive receio de o partilhar. A culinária é um daqueles tópicos muito falados, muito partilhados e como eu não era profissional temia o que pudesse advir de partilhar as minhas receitas.

Para além do receio, tinha também a conceção errada de que apenas poderia partilhar receitas fora da caixa, criações complexas que deslumbrassem. Aos poucos, fui partilhando e à medida que o ia fazendo, todos os medos e ideias pré-concebidas se foram evaporando.

Partilho porque é algo que gosto de fazer e porque gosto de vos ver a experimentar as minhas receitas e a partilhar o vosso feedback. Com o tempo entendi que nem todas as receitas têm de ser complexas ou dignas de prémio. As receitas mais simples também têm o seu lugar neste meu espaço da blogosfera. Descobri que o que realmente importa no fim de tudo é que as minhas receitas sejam partilhadas e preparadas com amor.

Neste sentido decidi começar a partilhar receitas mais simples, seguindo aquele esquema que agora é muito popular: X ingredientes para fazer Y. Investiguei no meu caderno de receitas e lembrei-me que existe uma sobremesa, conhecida de todos, que leva apenas 2 ingredientes.

Sim! Dois ingredientes e temos uma sobremesa portuguesa querida de muitos. Uma daquelas sobremesas que podemos encontrar em quase 60 a 70% dos restaurantes mais tradicionais, em Portugal.

A baba de camelo é uma daquelas sobremesas bem docinhas, bem pecaminosas, mas extremamente deliciosa que encanta miúdos e graúdos. Graças ao fantástico nome com que foi batizada, durante anos, recusei-me a experimentar esta sobremesa, porque me dava um certo nojo. Contudo, o nojo dura pouco quando se prova a primeira colherada da sobremesa. Adorava saber porque carga de água alguém terá dado nome tão estranho à sobremesa! Acreditem em mim quando vos digo que andei a investigar, tal era a minha curiosidade.

Li sobre o mito da Dona Valentina, uma dona de casa da primeira metade do século XX, cuja lenda reza que terá sido surpreendida por muitos convidados para jantar e, dada a escassez de ingredientes em casa, terá usado o que tinha para criar uma sobremesa. A mousse que fizera com o que tinha não era suficiente para todos. Sendo assim, diz-se que terá anunciado aos convidados que a sobremesa era, nada mais, nada menos do que, “baba de camelo”, na esperança de que causasse nojo a alguns dos convidados e, desta forma não se notasse a pouca quantidade.

Se é verdade ou não, não faço ideia. Vendo-vos esta informação ao mesmo preço que a comprei. Contudo a verdade é que isso explicaria o nome tão peculiar que aposto que deve fazer as delicias dos turistas que visitam Portugal.

Sem mais demoras, para recriares esta receita em casa vais precisar de:

  • 1 lata de leite condensado cozido
  • 5 ovos

Como fazer:

Primeiro separam-se as claras das gemas. Bate-se as claras em castelo e reserva-se. Numa outra taça bate-se o leite condensado para que fique bem cremoso, junta-se as gemas e mistura-se tudo muito bem. Com uma espátula, vai-se adicionando, gradualmente, as claras em castelo ao leite condensado, sempre com movimentos suaves. Quando estiver bem homogéneo, leva-se a baba de camelo ao frigorifico pelo menos durante duas horas.

Uma sobremesa incrivelmente simples de preparar e uma verdadeira delicia. E tu, és fã de baba de camelo?

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

<span>%d</span> bloggers like this: