5 Ideias de Hobbies “Tech Free”

É engraçado olhar para trás no tempo e analisarmos como a tecnologia aos poucos se foi entranhando nas nossas vidas de uma forma tão subtil e traiçoeira. As novas tecnologias ditam tendências, criam dependências e regem o nosso dia a dia, muitas vezes de forma camuflada.

Se nos falta a internet, deixamos de “conseguir trabalhar”.

Se nos esquecemos do telemóvel é como se parte de nós ficasse para trás com ele.

E se nos falha a eletricidade? O verdadeiro drama acontece. Deixamos de ter wifi, televisão, fonte de energia para os dispositivos móveis… e a lista continua.

Quantas vezes não dou por mim a fazer um scroll nas redes sociais e quando dou por ela já ali estou há demasiado tempo? Quantas vezes não me perco a ver Reels, Insta Stories, o feed do Facebook, vídeos aleatórios no Youtube ou a fazer maratonas de séries no Viki ou na Netflix?

Facilmente passo mais de dois terços do meu dia em frente aos pequenos e médios ecrãs. Já para não falar que até no trabalho estou sempre atrás de um computador. Por muito que eu não dispense um boa série, um bom scroll aleatório pelos Reels, surgiu uma certa necessidade de me afastar, nem que fosse apenas por um par de horas, de todos os dispositivos móveis e dedicar-me a algo não tecnológico. Algo que tento pôr em prática diariamente nos últimos meses. Pois, apercebo-me que quanto mais tempo estamos em casa, devido ao confinamento, mais tempo “perdemos” com as tecnologias.

Por isso, hoje trago-vos algo diferente. Trago-vos um artigo dedicado aos meus hobbies não tecnológicos e quem sabe, dar-vos umas ideias de atividades tech free para experimentarem neste confinamento.

1 . COZINHAR

Não fosse eu uma blogger de lifestyle com uma grande queda para a cozinha, não é? Cozinhar tinha de estar no topo da lista, era previsível. Sou capaz de me deixar levar e quando dou por ela estive uma tarde inteira de volta de formas, tachos e panelas. O que é mau muitas vezes para a linha, mas é ótimo para a alma.

É o hobbie perfeito para todos os amantes de culinária, quem sabe não existe um Master Chef escondido aí algures.

.

2 . LER

Aos poucos, estou-lhe a ganhar de novo o ritmo. Nestes primeiros três meses do ano, quer dizer, na base, dois meses e três dias, já li três novos livros, o que acreditem em mim é praticamente o triplo dos que tinha lido por esta altura no ano passado. Ler é algo que me leva a viajar, mesmo dentro de casa e tem sido uma fonte de inspiração e combustível para a minha criatividade.

Muitas pessoas não gostam de ler, eu acredito é que essas pessoas ainda não encontraram o tipo de literatura certa para o seu gosto. Por isso, até se pode ter um bichinho da leitura adormecido dentro de nós à espera de ser acordado.

.

3 . PRATICAR UM INSTRUMENTO MUSICAL

Talvez por ter crescido em volta da música, procuro muitas vezes afastar-me do mundo praticando piano. Perco-me nas notas, nas melodias e canções. Consigo ficar ali muito tempo perdida com as músicas de outros que de toco de forma meia tosca. Não sou profissional, estou longe de ser uma boa pianista, mas o pouco que sei, para já, satisfaz-me. E é o suficiente para ser um refúgio. Toco piano quando estou feliz, contudo sinto que as músicas me saem melhor quando estou preocupada ou triste. É como um remédio para as coisas más do mundo.

A música é um refúgio e eu não digo para aprenderes a tocar piano. Mas acredito que aprender a tocar um instrumento musical pode ser benéfico para a alma e um estímulo para a criatividade.

Nem toda a gente se dá bem com o piano, cá em casa o meu pai é baterista e a minha irmã mais nova está a aprender ukelele. Não ouvimos todos o mesmo estilo de música, nem tocamos todos o mesmo instrumento musical, mas encontramos todos na música o nosso pequeno refúgio.

.

4 . TRICOTAR

Quem me conhece sabe que eu tenho o espirito de uma idosa aprisionado dentro deste corpo de vinte e poucos. Brincadeira. Faço tricot desde criança e sempre foi um passatempo que me relaxava. Onde não tinha de pensar muito, apenas me deixava guiar pelos movimentos das agulhas, pelo correr do fio de lã e pela evolução da peça. O prazer de ver uma peça terminada, compensava todos os pontos dados. Tricotar é o meu modo de relaxar. E é completamente tech free, contudo é um passatempo para quem tem paciência, pois fazer uma peça pode ser um processo demorado.

.

5 . MACRAMÉ

Descobri o macramé há uns anos, graças ao Pinterest. Apesar de ser algo que eu adorava experimentar e matéria sobre a qual guardava muitos artigos e ideias, nunca me tinha atrevido a experimentar. Mas neste confinamento decidi parar de adiar. Encomendei um rolo de corda e tenho-me divertido a criar arco-íris e bases de copos, comecei por pequenos projetos e quem sabe, ainda em 2021, me dedico a tentar criar algo maior.

É um passatempo relaxante e onde podemos criar peças únicas e com o nosso cunho. Um pouco menos complexo do que o tricot, mas mesmo assim muito relaxante.

.

E pronto, aqui estão 5 dos meus hobbies completamente tech free que vos podem inspirar. Quem fala destes, podia falar de outros tantos. Existe uma panóplia de atividades não tecnológicas que podem experimentar e que podem ser um pequeno repouso diário das tecnologias que vos rodeiam. Só falta pousarem os telemóveis, largarem a Netflix e afastarem-se dos computadores, para se dedicarem a outras formas de se divertirem e distraírem.

E vocês? A que hobbies tech free mais gostam de dedicar o vosso tempo livre?

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

<span>%d</span> bloggers like this: